Bosch alcança vendas de mil milhões de euros na área da Indústria 4.0

0
  • A fábrica do futuro começa a ganhar forma
  • Crescimento: a Bosch planeia gerar vendas anuais de mil milhões de euros com sistemas conectados para produção e logística
  • Produtividade: “A aposta na Industria 4.0 compensa. As soluções digitais e conectadas estão a tornar as fábricas mais eficientes, mais flexíveis e mais produtivas”, afirma Rolf Najork, membro do conselho de administração da Bosch
  • Tecnologia: na Hannover Messe, a Bosch apresentou um sistema de transporte autónomo, deteção visual de falhas, com recurso a inteligência artificial e impressão 3D, tecnologias suportadas pela rede 5G
  • Parceria: a Suécia é o país parceiro da Hannover Messe e um mercado chave para a Bosch

A Indústria 4.0 tornou-se definitivamente um elemento integrante das fábricas de hoje: nos últimos quatro anos, a Bosch fez mais de 1,5 mil milhões de euros com aplicações de Indústria 4.0. Já em 2022, a Bosch pretende gerar vendas anuais de mais de mil milhões de euros neste domínio.

A empresa apresentou a fábrica do futuro na Hannover Messe: veículos de transporte autónomos entregam componentes em espaços de trabalho digitais, soluções robóticas dão suporte aos colaboradores na produção e as inspeções de qualidade são realizadas com recurso a inteligência artificial (AI). Graças à 5G, a comunicação entre máquinas e sistemas funciona sem problemas e quase em tempo real.

Indústria 4.0 aumenta competitividade

A Bosch reconheceu o potencial da Industria 4.0 desde o início: a empresa começou a conectar a produção e logística em 2012. Esta estratégia melhorou a competitividade neste domínio e o setor de tecnologia industrial da Bosch apresenta um crescimento consistente: de acordo com dados preliminares, no ano passado cresceu 8,9%. Considerando as taxas de câmbio, o crescimento foi de 11%. As vendas subiram para 7,4 mil milhões de euros. “O setor 4.0 compensa. As soluções digitais e conectadas estão a transformar as fábricas em espaços mais eficientes, mais flexíveis e mais produtivos”, conclui Rolf Najork, membro do conselho de administração da Bosch, que supervisiona este setor de negócios. Por exemplo, a fábrica da Bosch em Blaichach, no sul da Alemanha, introduziu tecnologias modernas de produção, que aumentaram os volumes de ABS e ESP em 200% em seis anos – sem expandir instalações ou fazer aquisições.

Bosch entra no mercado da intralogística com sistemas de transporte autónomos

Qual é a utilidade de uma cadeia de produção altamente automatizada se os materiais não chegarem à linha no prazo e nas quantidades certas? “Se se pensar na ideia de fábrica do futuro, no seu potencial máximo, a logística e a produção devem ser pensados como um só elemento. Esta é a única forma da Indústria 4.0 ter sucesso na prática”, conclui Rolf Najork. Na Hannover Messe, a Bosch Rexroth apresentou o ActiveShuttle: este veículo de transporte autónomo transporta os materiais do armazém para a linha de produção, onde são necessários. Uma plataforma integrada facilita o carregamento e o descarregamento autónomos, não havendo a necessidade de os funcionários pararem o seu trabalho. Equipado com scanners a laser, o ActiveShuttle encontra a sua própria rota, pode reconhecer outros veículos e pessoas – e tem ainda capacidade para aprender: este sistema de transporte cria o seu próprio mapa das instalações e atualiza-o continuamente.

Software é a base da Indústria 4.0

Os três pilares do sucesso na fábrica do futuro são as pessoas, máquinas e dados. Para garantir que trabalham de forma cooperativa, é necessário software inteligente. “O setor 4.0 seria inconcebível sem software. Através da nossa unidade operacional do Bosch Connected Industry estamos a expandir, ainda mais, a nossa posição de liderança no setor 4.0, reunindo o nosso know-how em software e serviços sob o nome de Nexeed”, afirma Stefan Aßmann, chefe da unidade de negócios da Bosch Connected Industry. Esta unidade ajuda os clientes a monitorizar os transportes, a produzir com rapidez e eficiência e a entregar os produtos com segurança e pontualidade. Para dar um exemplo: através do Nexeed Track and Trace, é possível obter informações sobre a localização, temperatura e vibrações de uma encomenda. Isso significa que o departamento de logística pode monitorizar o status da encomenda, a qualquer momento e determinar se os produtos chegarão a tempo.

Inteligência Artificial é a tecnologia chave para o futuro

Com a ajuda da inteligência artificial, as máquinas podem aprender a ser mais eficientes e a antecipar comportamentos. Isso significa um grande potencial para a indústria, já que as pessoas ficam dispensadas da realização de tarefas mais pesadas e morosas. “A Bosch considera a IA uma tecnologia fundamental. O objetivo da Bosch passa por, até meados da próxima década, todos os produtos estejam equipados com IA ou que o seu desenvolvimento e produção tenha sido concretizado com recurso a IA”, afirma Rolf Najork. Para atingir este objetivo, a Bosch concentra-se em inteligência artificial segura, robusta e explicável. Na Hannover Messe, a Bosch apresentou o ViPAS, um sistema baseado em IA para controlo de qualidade visual. Equipado com um braço de mecânico, câmaras de última geração e software inteligente, o sistema é simples e fácil de operar. Num projeto piloto da unidade da Bosch em Nuremberg, a ViPAS concluiu 12.000 procedimentos de teste, com uma taxa de sucesso de 99,9%. Isto significa que o ViPAS classificou componentes como “OK” ou “Com defeito” com precisão quase perfeita. O próximo passo é tornar o ViPAS ainda mais preciso, para que seja possível replicar esta tecnologia em outras unidades.

5G dá impulso à Industria 4.0

O 5G desempenha um papel fundamental em grande parte das aplicações da Industria 4.0. Esta tecnologia permite a transmissão de dados até 100 vezes mais rápido que a comum 4G. A fiabilidade aumentou e os atrasos na transmissão de dados diminuíram drasticamente. “O 5G será o sistema nervoso central na fábrica do futuro”, prevê Andreas Müller, investigador da Bosch e presidente da 5G Alliance for Connected Industries and Automation (5G-ACIA). Para moldar o novo padrão móvel desde o início e atender às necessidades futuras da indústria, a Bosch assumiu a presidência da organização, criada em 2018. Até ao momento, a iniciativa reuniu mais de 40 empresas e investigadores de todo o mundo. A Bosch planeia testar o 5G nas próprias unidades antes do final deste ano. O Hannover Messe foi também a oportunidade de firmar parcerias com a Nokia, Qualcomm e BigRep para apresentar as vantagens da 5G. Nesse sentido, as empresas estão a incluir, pela primeira vez, esta nova tecnologia numa impressora 3D, permitindo alocar alguns dos elementos de controlo, que normalmente seriam integrados na máquina, numa cloud. Máquinas com esse recurso a este tipo de tecnologia são mais eficientes, baratas e fáceis de manter.

Suécia é parceiro estratégico da Bosch

A Bosch e a Suécia estão ligadas por uma longa tradição. Com presença naquele que é o país parceiro da Hannover Messe desde 1904, a Bosch emprega, atualmente, mais de 1.600 colaboradores em nove localizações diferentes e gerou vendas de cerca de 1,1 mil milhões de euros em 2018. Também aqui a Bosch está empenhada em construir soluções conectadas para melhorar a qualidade dos seus produtos e serviços. A título de exemplo, a fábrica da Bosch Rexroth em Mellansel, no leste da Suécia, tem os seus sistemas hidráulicos conectados com sensores, aplicações alojadas numa cloud e utiliza métodos de machine learning. Isso resulta numa maior produtividade e uma maior eficiência dos sistemas de produção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.