Sébastien Ogier e Citroën vencem em Monte-Carlo

0

Verdadeiros heróis, nesta última Etapa, a bordo do seu C3 WRC, Sébastien Ogier e Julien Ingrassia sagraram-se vencedores desta edição do Monte-Carlo com a mais curta diferença de tempo de sempre da história do Rali. Um sinal da intensidade da batalha vivida, bem como do nível de performance apresentado, e que permitiu à Citroën Racing conquistar a sua centésima vitória no WRC logo no arranque do ano em que também celebra o seu centenário.

Atacar os últimos 13,58 quilómetros de um Monte-Carlo que totaliza quase 324 km e com apenas quatro décimos de avanço, requer muito sangue-frio. Ainda mais, quando um problema no pedal do acelerador vem perturbar a concentração no habitáculo. Com seis títulos mundiais no ativo, Sébastien Ogier e Julien Ingrassia são mestres na gestão deste tipo de situações, carregadas de adrenalina, e hoje deram, mais uma vez, provas disso mesmo. Autores do segundo melhor tempo nesta última especial desenhada entre La Cabanette e Col de Braus, os franceses arrebataram, com 2,2 segundos de vantagem, a sua sétima vitória no Principado (a sua sexta vitória consecutiva no rali), logo na sua estreia com o C3 WRC. Este resultado torna-os também co-recordistas no que respeita ao número de vitórias nesta prestigiada prova, e confirma também que Sébastien e Julien estão já em total sintonia com a sua nova montada.

Totalmente conscientes das armadilhas que surgem ao longo de um rali como Monte-Carlo, a dupla tricolor adotou, de imediato, uma abordagem ponderada, posicionando-se no segundo lugar nos dois troços noturnos de quinta-feira. Antes de assumir o comando na tarde do dia seguinte (ES 7), graças, principalmente, à obtenção de dois melhores tempos (ES 5 et 6) nas especiais inéditas de Curbans – Piegut (18,47 km) et Valdrome – Sigottier 2 (20,04 km). Com 2 segundos de vantagem na noite de sexta-feira, Sébastien e Julien fizeram mais do que duplicar o seu capital em Agnières en Devoluy – Corps (29,82 km), a primeira Especial de sábado e a mais longa do fim de semana, isto apesar da abundância de gelo nas estradas. Uma vantagem que, de seguida, passaram a gerir no ataque à última jornada, com 4,3 segundos de margem. Na curta Epata final de domingo, lutaram de perto com os seus rivais diretos e acabaram por impor a sua vitória nas últimas centenas de metros cronometrados.

Por seu lado, embora forçados a abandonar na manhã de sábado devido a problemas no motor, Esapekka Lappi e Janne Ferm fizeram, ainda assim, um incício de corrida bastante promissor, assegurando um belo quarto lugar na noite de quinta feira. Claramente, a Citroën Total WRT tomou a opção certa ao decidir trazer esta dupla escandinava para a sua equipa de pilotos, juntamente com Sébastien Ogier e Julien Ingrassia. Dado que devem contar com um bom lugar na ordem de partida na Suécia, Lappi e Ferm serão, sem dúvida e mais uma vez, uma força a ter em conta.

O QUE ELE DISSE…

Sébastien Ogier, Piloto do Citroën Total WRT

“Uma coisa é certa, não tomámos nada por garantido. A última Etapa, em especial, foi muito enervante e difícil devido ao nosso pequeno problema com o acelerador, que manteve o carro em aceleração constante, mesmo em travagem. A equipa deu-nos boas indicações e conseguimos improvisar a reparação no troço de ligação por estrada. De seguida, esforçámo-nos com toda a nossa energia e, no final, deu todo certo. Foi um fim de semana muito intenso. Foi uma luta constante, mas conseguimos alcançar a vitória. Obviamente, estamos orgulhosos deste resultado nesta nossa primeira prova com o C3 WRC, principalmente porque, como referi várias vezes, este rali é, para mim, o mais especial de todos. E, assim, foi também possível celebrar o centenário da Citroën em grande estilo. Por outras palavras, não podíamos desejar um melhor início nesta nossa primeira prova de regresso à equipa.”

DUAS PERGUNTAS A PIERRE BUDAR, DIRETOR DA CITROËN RACING

O que representa, para si, esta vitória histórica?

“Bom, foi, certamente, uma vitória sensacional. Penso que, em termos simbólicos, é uma excelente afirmação das nossas capacidades.  Era extremamente importante para nós conseguir assegurar esta centésima vitória no WRC logo na primeira ronda da temporada, principalmente num evento icónico como o Rali de Monte-Carlo, que, na sua maior parte, tem lugar em França. Também ficamós felizes por adicionar uma oitva vitória ao nosso recorde conjunto com o Sébastien e o Julien, neste ano do centenário da Citroën. Quando decidimos voltar a juntar forças este ano, a nossa ideia foi tentar escrever novas páginas na história da modalidade, e o nosso primeiro rali juntos não podia ter corrido melhor.”

Como descreveria a performance do Sébastien e do Julien?

“Num rali tão intenso como este, onde a escolha de pneus voltou a ser uma tarefa difícil e as estradas estiveram sempre traiçoeiras, eles, pura e simplesmente, protagonizaram uma ‘performance’ majestosa. Majestosa no controlo e na calma que apresentaram. É muito interessante trabalhar com eles porque não fazem cerimónias e dizem exatamente o que é preciso, dando indicações exatas sobre aquilo em que temos de nos concentrar. Estão a ajudar-nos a evoluir muito rapidamente, mas será escusado dizer que temos de continuar a trabalhar incansavelmente. Esta ronda de abertura mostrou claramente que esta temporada vai ser mais aguerrida do que nunca. Além do Sébastien e do Julien, que, obviamente, foram excecionais este fim de semana, gostaria também de felicitar o desempenho de todos os membros da equipa. O seu empenho nunca vacilou, mesmo nos nossos momentos mais difíceis no ano passado, e todos eles trabalharam árdua e incansavelmente de forma a arrancar da melhor forma a nossa campanha de 2019. Como é óbvio, este resultado deve-se também a eles.”

EM DESTAQUE

Parceiro indispensável de Sébastien Ogier e testemunha em primeira mão do conforto e segurança que o piloto mostra ao volante, o co-piloto francês falou-nos do estado de espírito de ambos enquanto aguardavam pelo início da última Especial.

“Antes da última Especial, o nosso engenheiro perguntou-me se podia fazer qualquer coisa por nós e eu sugeri que ele podia acender uma vela e, talvez, preparar o reboque e as cintas porque nunca se sabe o que vai acontecer… Acho que enveIheci alguns anos durante as primeiras passagens da manhã pelos quatro troços, pois foi extremamente intenso. Uma vez em andamento, empenhámo-nos a fundo e sem cometer quaisquer erros, algo verdadeiramente excecional porque foi o primeiro rali do Seb com C3 WRC. No entanto, depois de cruzarmos a linha de chegada, não sabiamos bem o que pensar. Não havia grande entusiasmo no controlo de passagem, mas, do lado esquerdo, vi o pai do Seb e ele expressava um grande sorriso. Foi aí que percebi que tínhamos vencido. O Seb, contudo, não percebeu de imediato e só depois de baixar um pouco a cabeça é que ficou com a certeza. Quando ele percebeu que tínhamos vencido, o ambiente a bordo tornou-se algo emocional. ”

RALI DE MONTE-CARLO 2019

CLASSIFICAÇÃO FINAL PROVISÓRIA

  1. Ogier / Ingrassia (Citroën C3 WRC) 3:21.15.9
  2. Neuville / Gilsoul (Hyundai i20 WRC) +2.2
  3. Tänak / Järveoja (Toyota Yaris WRC) +2:15.2
  4. Loeb / Elena (Hyundai i20 WRC) +2:28.2
  5. Latvala / Anttila (Toyota Yaris WRC) +2:29.9
  6. Meeke / Marshall (Toyota Yaris WRC) +5:36.2
  7. Greensmith / Edmondson (Ford Fiesta R5) +13:04.6
  8. Bonato / Boulloud (Citroën C3 R5) +13:56.5

CAMPEONATO DO MUNDO DE PILOTOS

  1. Sébastien Ogier – 29 pontos
  2. Thierry Neuville – 21 pontos
  3. Ott Tänak – 17 pontos
  4. Kris Meeke – 13 pontos
  5. Sébastien Loeb – 12 pontos
  6. Jari-Matti Latvala – 10 pontos

CAMPEONATO DO MUNDO DE CONSTRUTORES

  1. Hyundai WRT – 30 pontos
  2. Citroën Total WRT – 25 pontos
  3. Toyota Gazoo Racing – 25 pontos
  4. M-Sport Ford WRT – 14 pontos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.