Citroën e Ogier no comando em Monte-Carlo

0

Vencendo duas Especiais ao longo do dia e instalados no comando do rali no final da Etapa, Sébastien Ogier e Julien Ingrassia demonstraram já que possuem um bom domínio do C3 WRC. Forçados a abandonar devido a um triângulo de suspensão partido, Esapekka Lappi e Janne Ferm acabaram por pagar bem caro um pequeno erro.

Com a neve que caiu na manhã de quinta-feira, as Especiais de – Sigottier (20,04km) e Curbans – Piegut (18,47 km), que se destacavam na Etapa de hoje, prometiam bastantes dificuldades nas muitas secções que ficaram à sombra, privadas de qualquer calor do sol. Nesse sentido, o Citroën Total World Rally Team optou por montar nos seus carros quatro pneus Michelin com pregos e dois pneus Michelin slicks macios, uma escolha que tinha tudo para ser acertada. Porém, a anulação da ES3 (Valdrome – Sigottier) – a mais gelada das três Especiais da primeira passagem matinal – comprometeu seriamente a tática da equipa.

Dadas as circunstâncias, Sébastien Ogier e Julien Ingrassia foram capazes de protagonizar uma performance sublime na ES4. Utilizando dois pneus com pregos e dois slicks montados em posições opostas no carro, num troço mais adequado a um set-up de pneus para piso seco, a formação conseguiu, todavia, rubricar o terceiro melhor tempo, reduzindo, pelo caminho, a diferença para os comandantes. De seguida, a dupla assegurou a sua primeira vitória no C3 WRC ao assegurar o tempo mais rápido na ES5, e alcançando a Assistência Intermédia a apenas 3,4 segundos do líder. Da parte da tarde, os hexacampeões do mundo de ralis confirmaram a sua paixão por este evento invulgar. Conquistaram mais uma vitória na ES6 e colocaram-se no comando da prova, encerrando a jornada com 2,0 segundos de vantagem sobre os seus rivais mais diretos. Tudo isto indica que Ogier e Ingrassia formaram já uma firme ligação com o C3 WRC.

No seguimento da anulação da primeira Especial de hoje, que o deixou com um set-up de pneus que, de repente, deixaram de ser adequados para as condições, Esapekka Lappi passou por um mau bocado. Contudo, no final da primeira passagem, mantinha-se na luta por um lugar entre os cinco primeiros. Infelizmente, no recomeço das “hostilidades” ao início da tarde (ES6), um forte impacto danificou seriamente uma parte da suspensão dianteira esquerda do seu C3 WRC, forçando-o ao abandono da Etapa. Amanhã, Lappi voltará ao rali, determinado em reforçar a sua promissora estreia ao volante do C3 WRC.

Amanhã, o rali dirige-se para as montanhas de Champsaur e Dévoluy, um território em que Sébastien Ogier se sente em casa. O favorito local estará, assim, empenhado em manter a sua boa forma ao longo dos 93,38 quilómetros a percorrer na Etapa de sábado (quatro Especiais).

O QUE ELES DISSERAM…

Pierre Budar, Diretor da Citroën Racing

“Estamos, logicamente, muito felizes por ter chegado à Assistência de Gap no comando à Geral, depois de mais uma dura jornada de competição, principalmente em ternos de escolha de pneus. Sébastien e Julien utilizaram toda a sua experiência e talento para, ao longo do dia, apresentarem uma performance muito controlada, mas temos ainda um longo caminho e muitas dificuldades pela frente. Por outro lado, lamentamos o que aconteceu com o Esapekka e o Janne, que deram provas de um grande potencial. Infelizmente, o seu pequeno erro teve grandes consequências, mas o mais importante é que eles vão voltar ao rali amanhã, e continuar a ganhar experiência.”

Sébastien Ogier, Piloto do Citroën Total WRT

“Como é óbvio, estou muito satisfeito por chegar ao fim da jornada na liderança do rali, depois de um dia muito duro, marcado por alterações significativas nas condições meteorológicas e no ritmo de corrida, de um troço para o outro. Possivelmente, o nosso set-up de pneus não era o ideal para a segunda passagem, mas, mesmo assim, demos conta do recado. Sinto confiança na condução do meu C3 WRC e, até agora, a nossa estratégia de fazer uma abordagem inteligente só nos trouxe dividendos, pois não cometemos quaisquer erros. Vou dar tudo para manter este rendimento porque a Etapa de amanhã promete ser bastante difícil, principalmente na Especial Saint Léger LesMélèzes – La Batie Neuve.”

Esappeka Lappi, Piloto do Citroën Total WRT

“Tal como em muitas outras equipas, a nossa estratégia de pneus ficou altamente comprometida durante a manhã, quando a primeira Especial foi anulada, pois tinha sido esta Especial que, de certa forma, tinha ditado a opção por quatro pneus com pregos. Depois, ao início da tarde, bati em algo muito duro numa curva, possivelmente uma pedra. Os triângulos da suspensão partiram-se de imediato e não tínhamos forma de os reparar. Claro que foi uma desilusão, mas agora só pensamos em aproveitar o resto do rali para nos habituarmos ao C3 WRC. Possivelmente, até iremos experimentar alguns set-ups de pneus que não nos atreveríamos a utilizar em condições normais. ”

RALI DE MONTE-CARLO 2019

CLASSIFICAÇÃO GERAL NO FINAL DO DIA 2

  1. Ogier / Ingrassia (Citroën C3 WRC) 1h37’17’’3
  2. Neuville / Gilsoul (Hyundai i20 WRC) +2’’0
  3. Mikkelsen / Jaeger-Amland (Hyundai i20 WRC) +1’17’’7
  4. Latvala / Anttila (Toyota Yaris WRC) +1’25’’1
  5. Loeb / Elena (Hyundai i20 WRC) +1’25’’9
  6. Evans / Martin (Ford Fiesta WRC) +1’47’’5
  7. Tänak / Järveoja (Toyota Yaris WRC) +2’34’’9
  8. Meeke / Marshall (Toyota Yaris WRC) +5’33’’0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.