Equipa Motos VR no Top 10 em Fronteira

0
  • José Adriano no pódio da classe C2 e Ricardo Carvalho com melhor tempo em corrida

A equipa Motos VR esteve no passado fim-de-semana na vila alentejana de Fronteira a disputar a mais importante prova de resistência para SSV que tem lugar em Portugal. Em ano de estreia na 4H TT Vila de Fronteira, José Adriano conquistou o excelente terceiro lugar na Classe C2 destinada aos SSV sem motorização Turbo, conseguindo ainda a décima posição da classificação geral desta competição que reuniu alguns campeões nacionais da modalidade, entre quase meia centena de participantes.

Menos feliz foi Ricardo Carvalho, o vencedor das duas últimas edições da prova. Apesar de ter sido o piloto mais rápido em prova, obtendo as quatro melhores voltas da corrida, não conseguiu traduzir essa rapidez em resultado. Depois de uma sessão de treinos cronometrados bastante positiva “os dados estavam lançados” para uma excelente corrida, mas uma pedra projetada pelo SSV que seguia à sua frente já durante a competição, cortou literalmente o tubo de travão da frente do Yamaha Turbo, obrigando-o a regressar às boxes para resolver o problema e poder retomar a corrida. Para tentar melhorar posições, Ricardo Carvalho, imprimiu um ritmo forte, mas já perto do final teve uma saída de pista que o obrigou a abandonar a competição.

Igual desfecho teve Arnaldo Monteiro que em ano de estreia na prova alentejana que teve a Vila de Fronteira como cenário, acabou por ser forçado a abandonar. Perto da reta da meta sofreu um toque na traseira do seu Yamaha e acabou por capotar. Depois de seguir para as boxes ainda retomou a competição, mas o carro não estava em condições de continuar a disputar a corrida.

Para o líder da equipa Vitor Cândido “Aguardávamos com grande expectativa esta prova, que marca o final da época de competição. Não foi um ano fácil para a equipa, as expetativas nem sempre foram cumpridas e apesar dos contratempos que o Ricardo viveu mantivemos-mos na luta até ao final. Conseguimos trazer o título de vice-campeões T2 do CNTT pela mão de Arnaldo Monteiro que em ano de estreia teve um excelente desempenho, mas nem tudo correu como prevíamos. 2019 ainda é uma incógnita para nós. Vamos ver o que nos reserva e que surpresas poderá trazer”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.