Clã Rosa ambiciona perfumar as “Camélias”

0
  • O Citroën C1 Challenge 1000 é o veículo escolhido pelo piloto João Nina Rosa e o navegador Rui Rosa para aromatizar, este fim-de-semana e em clima familiar, o Rali das Camélias.

João Nina Rosa e Rui Rosa estão preparados e confiantes para iniciarem um ciclo profícuo nos ralis em Portugal. Trata-se de uma conjugação de esforços que, filho e pai, granjearam para fazer parte integrante da prova desenhada pelo Clube Motorismo de Setúbal e “respirarem” o espírito do Rali das Camélias, uma das provas mais emblemáticas em redor da cidade de Lisboa.

Com apenas 22 anos de idade, João Nina Rosa, natural de Coimbra, não descurou a oportunidade de colocar as luvas e manusear o volante do famoso “petit véhicule” da marca francesa “double chévron”, bebendo da sabedoria do pai na qualidade de navegador. Uma dupla que tem por missão despertar a curiosidade e o interesse de outas formações na região de Lisboa, sobretudo em Cascais, Sintra e Mafra.

Apesar da sua evidenciada juventude, João Nina Rosa, “discípulo” de engenharia mecânica no Instituto Superior Técnico, está desafiado a cumprir os objectivos traçados com a experiência do progenitor Rui Rosa, tendo por trás a aliança da estrutura Art of Speed para atenuar eventuais anomalias.

A par do fascínio e paixão pelos ralis, a dupla de índole familiar tem a incumbência de «tentar ganhar o Grupo X1 e Classe 8», embora reconheça que «não será uma tarefa fácil de alcançar devido a outros valores em provas e que se apresentam com mais experiência», sublinhou o jovem piloto.

O Rali das Camélias, com uma versão diferente do que era habitual, em que as equipas participantes a “apossarem-se”, no período matinal de sábado, pela especial Cascais, que mais não é que a junção da Lagoa Azul com a Peninha, «o piso apresenta-se bastante deteriorado, bastante penalizante para a nossa viatura, embora não esfrie o ânimo, bem pelo contrário, mas é preciso obedecer a alguns cuidados redobrados», afiançou João Nina Rosa.

Já a especial de Sintra, na versão clássica, «apresenta um nível melhorado relativamente à anterior, se bem que “salpicada” por bons e menos bons, mas que não deverá produzir efeitos nefastos», acentuou o jovem piloto do Citroën C1 Challenge 1000, rumando depois para a zona de Mafra, para fechar a manhã com uma especial com o mesmo nome.

Após o reagrupamento, em frente ao Palácio Nacional, os pilotos terão dupla passagem pelo Codeçal e Livramento, «composta por pisos rápidos mas também com algumas “armadilhas”, se bem que estamos preparados para abordar a prova com ânimo», acrescentou João Nina Rosa.

A dupla formada por João Nina Rosa e Rui Rosa partem também com o objectivo de premiar um conjunto de parceiros que viabilizaram o projecto, nomeadamente J. Costa – Estores, Caixilharia e Alumínios, Jornal de Mafra – Notícias dos Concelhos de Mafra e de Sintra, Art of Speed, 5 e Meio, Mega Imagem e PR’ HOTEL.

Em termos competitivos, o Rali das Camélias disputa-se no próximo sábado, dia 1 de Dezembro, em piso de asfalto, num percurso total de 215,85 km, dos quais 69,20 disputados ao cronómetro, ao longo de sete provas especiais.

Com a coroação dos vencedores agendada para os Jardins do Casino Estoril, os dados estão lançados para uma grande festa de fecho de temporada ao nível dos ralis. A partida está marcada para as 8h00, nos Jardins do Casino Estoril, com as equipas a rumarem a Cascais e desafiarem 11,66 km de especial (8h20), os 10,22 km de Sintra (8h48) e os 10,19 km de Mafra (9h51), antes da chegada ao reagrupamento no Palácio Nacional, prevista para as 10h21.

A partida para a segunda secção acontecerá às 11h40, com as equipas a percorrem por duas vezes os 12,56 km de Codeçal (12h43 e 14h44) e os 8 km de Livramento (13h31 e 15h32), antes de chegarem aos Jardins do Casino Estoril, às 17h15, para a cerimónia de pódio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.