Nem a chuva parou Carlos Pedro e Ricardo Pereira nas 2H do Estoril

0
  • Carlos Dias Pedro e Ricardo Pereira vencem os H81-2000
  • Volkswagen Golf GTi dominam treinos cronometrados
  • João Posser vence a categoria para Datsun 1200 ex-troféu

O dia começou cinzento e chuvoso no Estoril. Adivinhava-se um dia emocionante de corridas. A sessão foi animada com 34 carros em prova. Logo nos treinos cronometrados, os Volkswagen Golf GTi mostraram que se adaptavam bem a estas condições, conseguindo os melhores tempos com apenas 0.3 segundos entre os 3 primeiros.

Uma grande e animada grelha partiu para as 2 últimas horas de corridas neste ano. A jornada do Estoril foi rica em situações excepcionais que a tornaram extremamente interessante, valorizou a vitória de quem ganhou, e atribuiu mérito aos vencidos.

Com a pista a secar quando se iniciou a prova, os Ford Escort impuseram a sua potência e ultrapassaram os VW Golf logo nas primeiras voltas. Assim, o líder do primeiro stint foi a Família Gaspar. No entanto os vencedores de 2017, Carlos Dias Pedro / Ricardo Pereira assumiram a liderança após os 40 minutos de corrida. Essa liderança não foi longa pois o Porsche de Manuel Vistas e Pedro Alves Nogueira aproveitou uma diferente estratégia e um Safety Car derivado do óleo na pista para assumirem a liderança.

Numa prova com muitos motivos de interesse, foi apenas a 25 minutos do final que Dias Pedro/Pereira voltavam a assumir o controlo da corrida, desta vez para vencerem a prova.

Em segundo lugar e vencedores da categoria H81-Max, Luís Sousa Ribeiro / Alberto Velez Grilo fizeram uma prova equilibrada e sólida, levando o Jaguar XJS do 21º lugar na grelha ao 2º lugar no final das 2 horas e conquistando a vitória na classificação anual. Na mesma categoria, ficaram Vistas/Alves Nogueira e António e José Fresco em Ford Capri.

Nos H81-1600, a discussão entre os vários Volkswagen Golf GTi adivinhava-se intensa. Rafael Cerveira Pinto / Luís Pedro Liberal e Manuel Cabral Menezes / André Castro Pinheiro voltaram a declarar-se até ao final tal como em 2017. No entanto foi Madalena Gaspar/ João Vieira Borges /Larama que venceram a categoria confortavelmente com uma volta de vantagem sobre os eventuais favoritos.

Na categoria Production Cup para Datsun 1200 ex-troféu, João Posser desta vez acompanhado por Francisco Santos, venceu não só a prova mas também a classificação anual. A maior luta acabou por ser pelo segundo classificado, com Santos Mendonça, Jorge Pinto e Luís Santa Bárbara e Francisco Freitas a ficarem classificados a apenas 3 segundos de diferença no final da resistência.

Na categoria para viaturas até 1052cc, foram Carlos Lourenço, Carlos Maciel e Carlos Aniceto que venceram e revalidaram também o título anual, com Veloso Amaral/ Miguel Barata em segundos.

Também vencedores foram, José e Miguel Ribeiro na bonita Giulia Super em H71-1600 , terminando num excelente 7º lugar. João Vasconcelos e Francisco Calheiros venceram em H71-1300 e em H81-1300 foi o novo Renault 5 de José Familiar e António Magalhães.

Diogo Ferrão, da organização do CSS Group 1, enaltece o excelente ambiente que se vive. “No final de 2017, quando vi o excelente ambiente no pelotão dos CSS no final desta corrida, fiquei seguro que 2018 seria estupendo. Tivemos grelhas record em todos os circuitos onde passámos e este final de temporada, embora molhado, foi entusiasmante com 4 líderes durante a corrida e voltamos a mostrar que estas provas de Club Racing podem ser muito divertidas”, disse o responsável.

O CSS Group 1 entra agora numa época de defeso, com as equipas a definirem os novos parceiros e veículos para 2019. O calendário será conhecido como é habitual no jantar de apresentação de temporada, marcado para dia 19 de Janeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.