Pirelli faz a antevisão do G. P. do México

0

O Hipermacio faz a sua quinta e penúltima presença esta época no México, em conjunto com os compostos Ultramacio e Supermacio, proporcionando rapidez e emoção num local popular. O Autódromo Hermanos Rodriguez é uma das mais rápidas pistas onde o Hipermacio será utilizado este ano, permitindo aos pilotos retirar o máximo deste pneu rosa, para bater mais recordes. Baseado no antigo circuito que foi inaugurado em 1962, esta ultima encarnação da pista ainda consegue manter o espirito “Old School”.

O CIRCUITO DO PONTO DE VISTA DO PNEU

Com a introdução do Hipermacio Pink no Mexico, a nomeação mais macia é efetivamente dois passos mais macio face ao ano passado, quando o Macio, Supermacio e Ultramacio foram os escolhidos. Todos os compostos 2018 estão um passo acima mais macios face aos equivalentes a 2017, e o Hipermacio está ainda um passo mais macio.

O piso da pista é demasiadamente lisa e escorregadia, reduzindo o desgaste e degradação.

O Pit Lane é um dos mais longos do ano, aumentando o tempo necessário para realizar a troca de pneus, o que provavelmente vai encorajar as equipas a realizar apenas uma paragem.

No ano passado, uma paragem foi de facto a estratégia vencedora (Max Verstappen em Red Bull), mas houve algumas com duas paragens, ajudadas por um Safety Car Virtual.

Existe um misto de velocidades e curvas. Além das duas retas rápidas (onde no ano passado Sebastian Vettel alcançou os 362,4 Km/h), também existe uma seção sinuosa do estádio, onde está a reconhecida curva da Peraltada.

É o circuito situado a maior altitude do ano, o que significa que os carros geram menos pressão aerodinâmica no ar mais rarefeito e confiam mais na aderência mecânica dos pneus.

MARIO ISOLA – HEAD OF CAR RACING

“A nomeação de pneus que estamos a trazer para o México é efetivamente a mesma nomeação que faríamos para um circuito urbano, logo esperamos que as equipas tenham muita atenção ao desgaste e degradação, de modo a controlar o ritmo para que seja possivel realizar apenas uma paragem, também devido ao elevado comprimento do Pit lane, onde o tempo perdido é significativo. O clima é outro fator importante, no passado assistimos uma grande variedade de condições meteorológicas nesta altura do ano. É um circuito onde tradicionalmente acontecem alguns incidentes, com uma probalidade de 60% de entrada de um Safety Car, por isso manter alguma flexibilidade na estratégia é fundamental”.

O QUE HÁ DE NOVO?

O teste final de desenvolvimento da Pirelli será realizado na terça-feira após o Grande Prémio, com a Sauber a completar apenas um dia com os pneus Slick.

No México, a Pirelli assinalará a sua 200ª vitória num Grande Prémio, apesar na maioria deles estar sob o acordo de fornecedor exclusivo desde 2011.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.