Pirelli faz o rescaldo do GP. do Japão em F1

0
  • Três estratégias diferentes de pneus no “top five”   do Grande Prémio do Japão.
  • Apenas uma paragem para a maioria dos pilotos. Certamente, o dia mais quente do fim-de-semana.
  • A Pirelli continua em Suzuka com a Renault, durante dois dias, para um teste de desenvolvimento dos pneus 2019.

Lewis Hamilton e a Mercedes lideraram com os dois primeiros lugares, apenas realizaram uma paragem e nunca perderam a liderança da corrida. Ambos os Mercedes adotaram a mesma estratégia (Macio – Médio), no entanto atrás deles a completar o “Top Five”, houve diversas estratégias também de uma só paragem. O Red Bull de Daniel Ricciardo foi a exceção ao terminar em quarto, utilizando também a mesma estratégia dos dois primeiros com (Macio – Médio), embora tenha iniciado na 15ª posição devido a um problema na qualificação. Outro piloto que revelou um excelente ritmo foi Sebastian Vettel em Ferrari, em sexto lugar com uma estratégia (Supermacios – Macios), após cair diversas posições devido a um incidente de corrida. Com as temperaturas e pressões elevadas no circuito de Suzuka, em contraste com as condições climatéricas variáveis até hoje, houve uma série de dúvidas sobre a estratégia a adotar antes do inicio da corrida. No entranto, a grande maioria dos pilotos apenas parou uma vez, também beneficiados pela entrada precoce de um Safety Car. Agora, a Pirelli ficará em Suzuka, para um teste de desenvolvimento dos pneus protótipo 2019 com a Renault, entre terça e quarta-feira.

MARIO ISOLA – DIRETOR DESPORTIVO

“Com as temperaturas muito mais quentes face aos dias anteriores, sabíamos que iriamos ter outros desafios adicionais neste exigente circuito. De facto, estas foram especialmente mais elevadas nos turnos finais da corrida, mas não comprometeram o desenrolar da corrida, como revelaram as diversas impressionantes disputas que observámos. Também devido a uma entrada inicial do Safety car, a maioria dos pilotos conseguiu apenas parar uma vez, e também observámos a longos turnos com todos os três compostos. A maioria optou por acabar o Grande Prémio com o composto médio – o equivalente ao Macio no ano passado, apesar de este não ter sido muito utilizado nos treinos livres, como sob estas condições quentes.”

A ESTRATÉGIA VENCEDORA

Lewis Hamilton venceu a corrida com uma paragem na volta 24 como previsto, utilizando uma estratégia eficaz com (Macio – Médio), tal como previmos ser a mais rápida. Sebastian Vettel em Ferrari, estabeleceu a volta mais rápida da corrida, ao bater a anterior marca do ano passado em quase 0.8 segundos, mesmo antes da bandeira de xadrez, com os pneus macios.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.