Renovado Motorshow Autoclássico Porto 2018 foi enorme sucesso!

0

– Festa do automobilismo encerra com chave de ouro na Exponor

  • 40.000 pessoas coloriram festa nacional do desporto automóvel
  • Ari Vatanen assumiu protagonismo, levando público ao rubro com exibição de luxo e “incansável” simpatia
  • Mário Barbosa foi o grande vencedor do “Troféu Piloto Motorshow” e tornou-se recordista de triunfos na competição

Emoção, adrenalina, paixão e o “bichinho” pelos motores foram o prato forte de mais uma edição do Motorshow Autoclássico Porto. Na sua 16ª edição, o público não faltou à chamada e foi a alma de um evento em que a animação esteve presente desde o primeiro momento.

Os holofotes maiores brilharam sobre o convidado de luxo que veio da Finlândia para encantar os entusiastas que acorreram à Exponor. Ari Vatanen voltou a fazer sonhar os muitos que se recordam de o ver passar em míticas estradas como as de Sintra e Peninha, durante o Rali de Portugal, brilhando na Exponor, com exibições de luxo aos comandos de um Ford Escort MK II, em tudo igual ao que lhe deu o título de Campeão do Mundo de Ralis, em 1981.

Conhecido por ser um dos expoentes máximos da geração dos “finlandeses voadores”, o nórdico mostrou ser ainda capaz de transformar simples momentos de descontração e prazer ao volante, em momentos mágicos e verdadeiramente inesquecíveis. Aos 66 anos, o quatro vezes vencedor do Rally Dakar e, seguramente, uma das maiores lendas vivas dos ralis, mostrou que tem intactas as extraordinárias capacidades de pilotagem que sempre o notabilizaram, só ultrapassadas pelo seu caracter de generosidade e amabilidade. Se, em Portugal, difícil é encontrar quem não tenha uma foto com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, na Exponor, o outrora deputado europeu, assumiu igual estatuto de popularidade, distribuindo selfies, autógrafos, abraços, sorrisos, com uma aura que só emanam os grandes campões.

O incansável finlandês brindou todos os presentes com uma simpatia sem paralelo, que resplandeceu ao longo dos três dias, fazendo cintilar ainda mais a emoção de todos os que acorreram ao Motorshow Autoclássico Porto, tornando a edição de 2018 num momento único. No final, deixou um grande elogio à prova organizada pela Xikane: “Dá muito trabalho fazer um festival como este, mas têm de ser feitos para manter a família dos automóveis unida. É importante para o desporto, para Portugal, para fazer permanecer este desporto vivo. Foram três dias de muito ‘calor humano’ e parece que saio daqui ainda mais jovem e de alma rejuvenescida!”

Neste último dia do certame, não houve Benfica/Porto que demovesse os fervorosos adeptos do automobilismo de estarem presentes no maior evento ibérico que junta automóveis desportivos e clássicos. As bancadas que circundaram o novíssimo traçado de 1,5 km, em estreia na zona exterior da Exponor, estiveram repletas de entusiastas que não arredaram pé e que ficaram até ao último momento para aplaudir Mário Barbosa, o grande vencedor da edição deste ano do “Troféu Piloto Motorshow”.

Tirando partido dos mais de 600 cavalos de potência do Citroën DS3 WRX com que tem participado em algumas provas do Campeonato FIA Europeu de Rallycross e com uma condução precisa e ‘cirúrgica’ contra o cronómetro, o piloto de Paços de Ferreira bateu os mais de 60 adversários que animaram a competição, com carros de diversas disciplinas como os Ralis, a Velocidade, o Off Road e até o Todo-o-Terreno.

Na Super Final, que decidiu o nome do vencedor e à qual já só tiveram acesso os 16 pilotos mais rápidos do fim-de-semana, Barbosa acabou por se superiorizar ao piloto com pseudónimo “Multiclima”, num Mitsubishi Lancer. A vantagem de 1,860s sobre o piloto do Mitsubishi Lancer não espelha as dificuldades por que passou o vencedor que é agora também o recordista de triunfos no “Troféu Piloto Motorshow”, com quatro vitórias. Segundo o piloto, “a vitória foi difícil, mas muito saborosa. Na Super Final, já não tinha os pneus nas melhores condições e tive que ser muito preciso na condução, procurando não cometer erros. Esse foi, afinal, o segredo deste triunfo, para além de conseguir uma boa afinação de “set up” e de um excelente trabalho global da minha equipa DM Motorsport”.

A completar o pódio final, também merece referência o terceiro lugar de João Novo Jr., um jovem de apenas 16 anos, que mostrou todo o valor e potencial, ao volante de um Citroën idêntico ao do vencedor.

Noutras categorias, os duelos em pista foram sempre cerrados, para gáudio do público que vibrou com a atuação dos mais rápidos. Se Mário Barbosa registou o triunfo também na Categoria “4×4”, na Categoria 2WD, a vitória foi parar às mãos de Tiago Prata, no extremamente eficaz Westfield Aero. E enquanto nos “Clássicos”, o lugar mais alto do pódio foi conquistado por Joaquim Costa, em Ford Escort, na Categoria “Feminino” foi Filipa Sanguedo, com um Opel Adam R2, que colheu os louros.

Mas não foram só os motores que fizeram as pulsações acelerarem. Numa prova de emoções fortes também um inédito e inolvidável momento marcou esta 16ª edição, quando António Dias, um dos grandes animadores do “Troféu Piloto Motorshow”, finalizou a sua atuação apelando ao sentimento, com um pedido de casamento surpresa à sua futura esposa, que assistia à sua prestação da bancada!

Num certame pelo qual passaram inúmeras caras conhecidas da família das quatro rodas, como Rui Madeira (Ex-Campeão do Mundo de Grupo N) e Pedro Salvador (recém congratulado Campeão Nacional de Velocidade), ficou provado que tudo pode mesmo acontecer! A edição de 2018, foi pródiga em sensações intensas, com uma grande variedade de atuações em pista, onde também brilharam os drifts de um Camião Racing e de um Kartcross, tão impressionantes como as acrobáticas manobras do pioneiro do freestyle em Portugal, Paulo Martinho, de moto, carro ou em veículos por si improvisados. Tudo valeu para colorir o Motorshow Porto 2018, com um ambiente único e memorável.

No entanto, o Motorshow também viveu do “casamento” perfeito com o Autoclássico, mostra ibérica de veículos clássicos e feira de automobilia, traduzindo-se o sucesso desta relação no registo de cerca de 40.000 visitantes.

Para Pedro Ortigão, o responsável máximo da Xikane (promotor do evento), “o balanço só pode ser extremamente positivo, pois apesar de ter sido a 16ª edição, funcionou como um ano zero’, na sequência da total reformulação da pista, que se revelou do agrado da maioria dos pilotos. Não podíamos estar mais satisfeitos com a resposta dos muitos e bons pilotos que responderam à chamada, do público que se entusiasmou e foi incansável a apoiar as exibições, e, claro, com a aposta de trazer Ari Vatanen, que excedeu todas as expetativas, com o seu notável talento, popularidade, simpatia e grandiosidade que demonstrou como ser humano, durante os três dias do evento”.

Agora é só esperar pela edição do Motorshow Autoclássico Porto 2019. E a contagem decrescente já começou…

Classificação Absoluta:

1º Mário Barbosa (Citroën DS3 WRX), 1m17,787s
2º “Multiclima” (Mitsubishi Lancer), a 1,860s
3º João Novo Jr. (Citroën DS3 WRX) a 1,925s
4º Joaquim Santos (Ford Focus WRX), a 2,474s
5º Tiago Prata (Westfield Aero), a 4,205s
(…)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.