Manuel Alves mantém segundo lugar no Rotax Max Challenge Portugal

0
  • Piloto da Trofa viveu situação inédita na quarta prova em Braga

Depois de vencer a terceira prova do Rotax Max Challenge Portugal da categoria Sénior em Baltar, Manuel Alves partiu para a quarta jornada com legítimas aspirações para voltar a triunfar. Contudo, uma decisão do Colégio de Comissários Desportivos em retirar a pole-position ao piloto da Trofa – numa altura em que já estava aos comandos do seu kart na pré-grelha para a Final 1 (!) –, hipotecou os seus objetivos. Ainda assim, Manuel Alves não baixou os braços e garantiu o segundo lugar do pódio.

Manuel Alves esteve muito forte durante as sessões de treinos livres e manteve o ritmo nos treinos cronometrados, estabelecendo, sem surpresa, o melhor tempo. Contudo, o Colégio de Comissários Desportivos desclassificou o piloto da Trofa por ter, numa volta, ultrapassado os limites dos corretores. “O que se passou em Braga quase que não dá para acreditar! Estou na pré-grelha para a Final 1, já sentado no meu kart, com o capacete colocado e vêm-me chamar para ir ao Colégio de Comissários Desportivos para ser informado que estava desclassificado dos treinos cronometrados e, por isso, ia largar da última posição e não da pole-position. Disseram-me que passei os limites dos corretores numa das voltas e, sem ‘meias medidas’, optaram logo por me desclassificar, sem terem em consideração que essa volta em que ultrapassei os limites dos corretores não foi a volta da pole-position, nem a minha segunda melhor volta, nem a minha terceira melhor volta! Podiam, como consta no regulamento, optarem por uma sanção qualquer, mas desclassificarem-me é uma atitude exagerada, sem imperar o mínimo de bom senso. Digo bom senso, porque, repito, quando ultrapassei os limites dos corretores não foi na volta em que fiz a pole-position e, por outro lado, sabiam que eu estava na segunda posição do campeonato e a lutar para vencer e me qualificar para o ‘Mundial’ no Brasil”, comentou Manuel Alves, para depois reforçar o que mais o indignou: “Mas o mais grave disto foi o facto de ser chamado ao Colégio quando já estava na pré-grelha concentrado para a corrida! Aliás, já tinha passado o tempo para tomarem decisões. Isto foi uma completa falta de bom senso e respeito. Imaginem como regressei à pré-grelha para disputar a Final 1?”. Questionou Manuel Alves que, ainda assim, conseguiu recuperar e ser segundo classificado nas duas Finais, mas vendo-se privado de lutar pela vitória em ambas.

“Vou continuar a trabalhar com a minha equipa RM Racing e vou disputar a última prova, em Viana do Castelo, exatamente com o mesmo objetivo das provas anteriores, ou seja, ganhar”, concluiu Manuel Alves.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.